Um sonho realizado! A tríplice coroa conquistada: Star Alliance Gold, One World Emerald, e Sky Team Elite Plus!

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×

Há certas coisas que a gente acha que vai demorar anos até conseguir. Mas algumas a gente se surpreende ao ver que consegue conquistar bem antes. 🙂

Como eu tenho viajado bastante nos últimos tempos, dando preferência a voos pagos em dinheiro e quase sempre em promoções (ou sempre), conquistar os níveis mais altos de associação dos programas de fidelidade das empresas aéreas passou a ser algo bem palpável a cada viagem completada.

É verdade que em algumas oportunidades eu realizei a corrida das milhas (“mileage run”), que, embora não seja tão saudável quanto às corridas de rua (na verdade, as corridas de rua são a única opção saudável), apresentava um ótimo custo x benefício para completar os requisitos necessários para atingir o nível elite em cada uma das três grandes alianças aéreas que dominam a aviação mundial: Star Alliance, One World e Sky Team.

E hoje é com satisfação que compartilho com meus leitores um verdadeiro sonho realizado: a conquista da tríplice coroa: Star Alliance Gold, One World Emerald e Sky Team Elite Plus.

Tríplice Coroa - SA Gold OneWorld Emerald ST Elite Plus

Em relação aos programas nacionais, eu consegui também a associação elite em todos eles: Diamante na Gol, Vermelho na TAM, Safira no Tudo Azul, e Ouro na Avianca.

Eu também consegui status elite em alguns outros programas esparsos – Etihad Guest Gold, por exemplo – mas o legal é conseguir a associação elite que também possa ser utilizada em outras empresas aéreas, e isso só é possível quando o programa de fidelidade está associado a uma grande aliança global de aviação – o que na verdade é o grande ponto negativo dos programas nacionais, já que quase todos não estão integrados a uma aliança global.

Etihad Guest Gold

Em suma, o que eu quero destacar aqui é que nada se compara a atingir o nível máximo nas grandes alianças aéreas, por meio de programas de fidelidade de qualidade reconhecida mundialmente, como no caso do AAdvantage da American Airlines, para se atingir o nível Emerald na One World, e o Miles & Smiles, da Turkish Airlines, no caso da Star Alliance Gold (relevo a segundo plano o caso da Sky Team, pois não vejo nessa aliança nenhum programa de fidelidade que se equipare em termos de qualidade aos oferecidos nas duas outras alianças aéreas).

Para viajantes frequentes, a conquista de níveis mais alto de associação nos programas de fidelidade faz sentido se houver a efetiva utilização dos benefícios oferecidos nas categorias elite, representando ganhos de tempo e conforto que podem tornar as viagens mais cômodas.

Fiquei feliz com o resultado obtido, e na verdade não imaginava obter essa tríplice coroa tão cedo. Ao longo do tempo de vida do MMdM, estarei mostrando aos leitores do blog que estiverem interessados (ou necessitados dessas associações) dicas de como realizar uma bem bolada estratégia para consegui-los. Não percam! 😀

8 Comments

  1. Daniel 23/09/2014 at 11:42 #

    Caraca, hein! Parabéns! Um sonho mesmo. Conheci o blog agora e fico feliz com tanta informação interessante. Só para matar minha curiosidade, uma dúvida: Com que frequência você viaja para conseguir juntar tantos pontos em tantos programas diferentes? alguns desses programas exigem mais de 120 mil milhas para chegar nas categorias tops. Fazendo uma conta “de pedreiro” muito por cima, dá umas 2 ou 3 viagens nacionais por semana + 2 viagens internacionais por mês, por pelo menos uns 4 anos + trechos com milhagem bônus (tipo first/business class em trechos internacionais ou tarifa top/flexível em vôos nacionais). É isso mesmo?

    Outra dúvida: O que vale para upgrade é quantas milhas você acumulou ou a quantidade de trechos voados no período? nunca entendi bem isso.

    • Guilherme 23/09/2014 at 14:36 #

      Obrigado, Daniel, e também por estar seguindo o blogl!!!!

      Sobre suas dúvidas, vamos lá! 🙂

      Sim, eu viajava com frequência, aproximadamente nas médias que você estimou: dois trechos por semana, e um trecho internacional por mês, procurando sempre maximizar o valor de cada trecho através do seguinte esquema: a maior distância possível pelo menor preço possível (por exemplo, um trecho Miami-Los Angeles numa tarifa básica da American Airlines, ou um trecho São Paulo-Congonhas-RJ-Santos Dumont também numa tarifa básica, mas que pontuasse pelo menos 100%), e, com promoções em classes internacionais, do tipo Business (por exemplo, um trecho RJ-Nova York a mil dólares em Business), onde se consegue acumular bem mais milhas, que também valem para o status elite.

      Sobre a segunda pergunta, os programas de fidelidade aceitam os dois critérios (ou um ou outro) para o upgrade de categoria. Por exemplo, na American Airlines, você pode conseguir o Executive Platinum voando 100 segmentos ou conquistando 100 mil milhas voadas.

      No meu caso específico para alcançar esse status, a AA fez uma promoção onde se podia conseguir tal status com 30 mil milhas voadas.

      Bem, é isso!

      No futuro, pretendo esclarecer mais sobre essas estratégias, bem como de alguns “atalhos” que podem facilitar a conquista do status máximo nos programas de fidelidade, tais como status match e promoções de milhas qualificadas.

      Abç!

      • Daniel 23/09/2014 at 17:12 #

        Entendi, obrigado pelas explicações!

        Mais uma dúvida: as milhas consideradas para mudanças de categoria são apenas as recebidas por trechos voados, correto? algum programa aceita milhas de outras fontes (ex.: cartão de crédito da própria cia) para mudança de status?

        Abraços

        • Guilherme 23/09/2014 at 18:11 #

          Ôpa, às ordens!

          Sim, as milhas para mudança de categoria englobam apenas milhas por trechos voados.

          A exceção é o Smiles, que permite que se mude de categoria com base em transferências de pontos de cartões de crédito e outros parceiros. As milhas qualificadas para upgrade de nível são chamadas de milhas club:

          15 milhas acumuladas = 1 milha Club

          Dessa forma, para conquistar o nível Prata no Smiles é preciso acumular 10.000 milhas club em 12 meses. Fazendo os cálculos, isso dá 150.000 pontos transferidos de cartões de crédito e oriundos de outras fontes, como compras no Comprafácil, RiHappy etc.

          Fonte: http://www.smiles.com.br/programa-smiles/categorias-smiles/categoria-smiles-prata.aspx

          Abç!

  2. Carlos 01/10/2014 at 21:08 #

    Muito legal, Guilherme. O problema de conseguir a tríplice coroa é mantê-la, já que não será mais possível usar fast tracks. Imagino que você vai escolher uma prioridade e, provavelmente, será a AA por causa dos 8 upgrades disponíveis para os ExPlats e associação com a TAM.
    Em termos de benefícios da aliança (esquecendo as que as próprias companhias oferecem aos seus associados), para quem mora no Brasil a sua avaliação seria esta: One World > Star Alliance > Sky Team?

    • Guilherme 02/10/2014 at 12:41 #

      Obrigado, Carlos!

      Realmente, o problema é a manutenção dessa tríplice coroa, a qual vou abrir mão, tendo em vista que diminui consideravelmente a quantidade de viagens nesses últimos tempos, e, portanto, não tenho tido tempo de sequer usufruir de tais benefícios proporcionados por tais associações elite.

      E legal que tenhamos o mesmo tipo de pensamento, pois seria exatamente a AA a minha prioridade, justamente pelos motivos enumerados por você!

      E você acertou também a última resposta: prioridades na ordem estabelecida por você One World > Star Alliance > Sky Team!

      Abç!

  3. luiz 04/12/2014 at 11:26 #

    Bem vindo ao clube.

    • Guilherme 07/12/2014 at 10:54 #

      Obrigado, Luiz!

Leave a Reply

1 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 1 1 Flares ×