Conhecendo o Brasil… através de blogs gringos!?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Há uma infinidade de blogs brasileiros dedicados às viagens, e, na questão de quais destinos eles cobrem, fica evidente que a esmagadora maioria prefere cobrir destinos estrangeiros, numa proporção que eu acredito variar entre 70% a 80%.

Daí o surgimento de situações inusitadas como as que eu presenciei semana passada: a de ficar sabendo de um destino turístico brasileiro através… de um blog gringo (!?).

O local em questão é a Cachoeira de Itiquira, que fica em Goiás (local muito interessante, por sinal), e o blog que fez a matéria foi o Giddy for Points.

Cachoeira de Itiquira

Eu não sei exatamente qual é o motivo de os blogs brasileiros de viagens, salvo honrosas exceções, fazerem tão pouca cobertura das atrações turísticas brasileiras. Talvez seja a falta de “desculpa” para viajar em primeira classe ou classe executiva (como se o meio fosse mais importante que o fim). Talvez seja pelo fato de que o brasileiro médio prefere viajar com o intuito de gastar. Não sei.

O fato é que fiquei surpreso negativamente com a falta de cobertura da viajosfera brasileira sobre a Copa do Mundo, que seria um mote perfeito para cobrir as cidades e regiões que abrigariam o Mundial. Havia 12 cidades-sede, e, portanto, 12 potenciais destinos para serem explorados pela viajosfera brasileira.

E devo dizer que os blogs brasileiros de viagens simplesmente decepcionaram nesse evento esportivo, podendo-se contar nos dedos a quantidade de matérias sobre o evento Copa do Mundo, ou das cidades que sediaram o evento.

Bom, fica aqui o registro dessa curiosidade, e a torcida para que a viajosfera brasileira possa explorar mais as atrações turísticas brasileiras.

Tagged as:

4 Comments

  1. SwineOne 07/08/2014 at 15:40 #

    Permita-me sugerir um motivo pelo qual as pessoas não cobrem viagens ao Brasil: talvez elas sejam pobres demais para isso. Eu mesmo não tenho dinheiro para fazer uma viagem para o Nordeste e pagar os preços extorsivos cobrados nos hoteis e restaurantes daquela região. Já fui muito para lá quando os preços eram pagáveis, mas atualmente, preciso enriquecer muito para ter condições para bancar uma viagem para lá.

    Sem contar que, como não temos em nenhum lugar do Brasil uma infraestrutura de transporte público que se aproxime daquela de qualquer grande centro americano ou europeu, temos gastos extras com carros alugados (a preços muito superiores ao de qualquer outro lugar do mundo, diga-se de passagem) ou precisamos correr o risco de acidentes, assaltos, queda de viadutos, balas perdidas, superlotação, etc. usando o transporte público brasileiro. Quando estou de férias, não quero me sujeitar às coisas que já sou obrigado a me sujeitar por morar aqui.

    Ainda, se precisamos fazer compras (trocar computador, celular, tablet, comprar roupas, etc.), a economia que fazemos em tais compras nos EUA, por exemplo, é tal que praticamente já paga a viagem.

    Mas não vamos desviar do ponto original: se viagem + hotel + alimentação + transporte para o Caribe é mais barato do que para o Nordeste, quem iria preferir viajar para o Nordeste do que para o Caribe?

    • Guilherme 08/08/2014 at 13:02 #

      Olá, Swine, muito interessante seu comentário!

      Cada pessoa tem um perfil de viagens. Para viagens de turismo histórico/cultural, lugares como o interior de Minas Gerais, região serrana do RJ e outros oferecem atrativos aptos a atender os interesses desse tipo de viajantes.

      Para viagens que contemplem natureza, Foz do Iguaçu, Chapada Diamantina, Bonito, Pantanal etc., também são locais interessantes. Quanto mais inóspito o local, certamente mais difícil seja o transporte público.

      Para viagens com finalidade de compras, no exterior os preços compensam bastante, a depender dos produtos.

      Enfim, dependendo do perfil, um ou mais locais e regiões atenderão melhor os viajantes.

      Abç!

  2. Renato 17/08/2014 at 16:17 #

    Para mim os motivos são bastante claros para viajar pouco pelo Brasil:
    1) Insegurança: são poucos os lugares que podemos andar com uma máquina fotográfica no pescoço sem nos sentirmos um alvo ambulante. São poucas as trilhas de natureza que podemos fazer sozinhos ou em pequenos grupos, quanto mais inóspito o lugar, maiores as chances de ser assaltado ou sofrer violência pior. O Nordeste traz o pior cenário de todos, mas isto não é privilégio só de lá não.
    Exemplos: já fui assaltado com arma na cabeça no Recife, já fui ameçado por um guia em Olinda, já fui ameaçado por outro guia perto de Carro Quebrado, em Alagoas, somente porque não quiz contratar os serviços dele. Outros: notícias de assalto em trilha em Itacaré.

    2) Preços extorsivos: vide Rio de Janeiro, Fernando de Noronha, Foz do Iguaçu, resorts do Nordeste, Campos do Jordão e outros. Vide a exigência de muitos hotéis e pousadas de se reservar no mínimo duas ou três diárias. Veja os preços para subir ao Cristo Redentor ou para entrar no Parque das Cataratas.
    O que falar do preço para alugar um carro 1.0 básico “pé-de-boi”? Mais caro que alugar um belo carro nos EUA ou na Europa em dólar ou euro.

    3) Falta de estrutura para viajar por conta própria: em muitos lugares você só consegue passear se contratar um gui local. Você não consegue pegar um transporte e fazer os passeios por conta própria. Quantos pontos de ônibus no país tem um mapa indicando quais linhas passam, para quais locais e quais horários? Quantos trens temos?

    4) O brasileiro ixperrrto: se você for identificado como paulista, o cenário é pior ainda, pois muitos pensam que você é um cofre de dinheiro ambulante. Se tiver uma pele mais clara ou olhos claros que te confundam com um estrangeiro também, você vira alvo de aproveitadores querendo tirar mais dinheiro de você.

    5) Pobreza em todos os sentidos: em dezembro fui para o Nordeste, só escutei lepo-lepo e coisas piores. Não suporto os famigerados guardadores de carro, não suporto viajar para me divertir e relaxar e ficar vendo cenários terríveis de miséria e falta de higiene país afora, ir para São Paulo e sair de um shopping classe AAA e ver favelas, sair de praias de alto padrão em São Sebastião e ver os morros cheios de barracos, ir para o Nordeste e ver pessoas sentadas nas portas das casas só esperando o dia de ir receber o bolsa família.

    Bom, em resumo é isso. Quando viajo quero sair da minha realidade, viver e conhecer um mundo que não é meu, andar relaxado sem ter que olhar para trás o tempo todo, quero ver lugares bonitos sem maiores preocupações ou dificuldades. Quero pagar preços justos pelo que compro ou consumo. Não quero tirar férias para me inserir em uma realidade pior que a que já vivemos no dia-a-dia.
    Abraço!

    Bom, para mim é isso

    • Guilherme 17/08/2014 at 22:11 #

      Ótimas observações, Renato!

      Abç

Leave a Reply

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×