O que é um cartão de crédito?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Cartão de crédito é um meio de pagamento, assim como dinheiro em espécie (cash), cartão de débito, boleto bancário ou cheque.

O que diferencia o cartão de crédito dos demais meios de pagamento, no contexto das milhas e pontos, é que ele constitui uma das melhores ferramentas para acúmulo de milhas aéreas, abreviando no tempo o seu caminho até a emissão da sonhada passagem-prêmio.

Normalmente, cada dólar (ou equivalente em dólar) gasto em compras no cartão de crédito lhe dá direito a um número “x” de pontos no programa de fidelidade do cartão. Esse número “x”, chamado fator de conversão, dependerá do tipo de cartão que você tem. Como regra geral, temos a seguinte tabela:

Cartões do tipo Gold (anuidades de R$ 120 a R$ 250) = 1 dólar gera 1 ponto

Cartões do tipo Platinum (anuidades de R$ 300 a R$ 600) = 1 dólar gera 1,5 ponto

Cartões do tipo Black/Infinite (anuidades de R$ 650 a R$ 1.200) = 1 dólar gera de 2 a 2,2 pontos

Um problema relacionado aos cartões de crédito é que, geralmente, eles têm um custo, representado pelo pagamento da tarifa de anuidade. A anuidade é uma tarifa que varia de R$ 120 a até R$ 1.200. Quanto mais cara a anuidade do cartão de crédito, maior tenderá a ser a pontuação oferecida, e melhores também serão os benefícios oferecidos, sendo que alguns desses benefícios são fornecidos pela bandeira do cartão (Mastercard, Visa, American Express, Diners), e outros são fornecidos pelo banco emissor do cartão de crédito (Banco do Brasil, Bradesco, Santander etc.).

Cartão de Crédito

A anuidade, na maioria dos cartões, é passível de negociação. Para um panorama completo desse tema, bem como de outros assuntos relacionados a cartões de crédito, sugiro a leitura de alguns posts que escrevi lá no blog Valores Reais:

– 7 estratégias para não pagar anuidade do cartão de crédito

– Abatendo três anuidades de cartões de crédito. E embolsando R$ 928,98 a mais na carteira. \o/ (e mostrando que você pode fazer isso também).

– Como eu consegui a isenção completa da anuidade de cartão de crédito mais cara do Brasil (R$ 1.200,00)

– [Guest post] 12 dicas para utilizar melhor o cartão de crédito

– [Guest post surpreendente] Confissões de um atendente de call center de cartão de crédito…

– Aproveite melhor o empréstimo de tempo que seu cartão de crédito oferece utilizando a estratégia de compras dentro das “zonas de pagamento”

– Lançando as despesas com cartão de crédito no orçamento do mês: o meu método particular (e minoritário) de fazê-lo

Programa de fidelidade do cartão vs. Programa de fidelidade da empresa aérea

Uma coisa que é importante distinguir é o programa de fidelidade do cartão de crédito em relação ao programa de recompensas da empresa aérea.

Normalmente, quando você faz as compras por meio do cartão de crédito, você acumula pontos no programa do cartão. Ou seja, eles ainda não estão no programa de milhagem: é preciso que você solicite essa transferência, seja por meio do telefone, seja por meio da Internet.

Há algumas exceções, que dizem respeito a cartões de crédito diretamente associados a um programa de milhagem, que transferem automaticamente os pontos para esse último. Um exemplo são os cartões Citi AAdvantage, que transferem os pontos acumulados no cartão diretamente para o programa de milhagem AAdvantage, da American Airlines. No Brasil, temos os cartões Smiles Mastercard, emitidos pelos bancos BB e Bradesco, e os cartões TAM Itaucard, que enviam pontos diretamente para o Multiplus Fidelidade. O Tudo Azul ainda não tem um cartão desse tipo, denominado também de co-branded.

O que é melhor: ter um cartão de crédito que transfira os pontos diretamente para o programa de milhagem, ou ter um que não transfira?

Depende. Se você der preferência a um programa de milhagem que tenha um cartão de crédito associado, talvez valha a pena ter um cartão que faça a transferência automática. Dessa forma, como os pontos chegam mais cedo ao programa de milhagem, você também pode aproveitar melhor alguma promoção relâmpago de emissão com milhas reduzidas.

Prós e contras de ter um cartão de crédito associado a um programa de milhagem: a experiência concreta do leitor Vinícius

Pois é, o MMdM não tem sequer uma semana de vida, e a caixa de comentários já está funcionando a pleno vapor! O leitor Vinícius deu um excelente exemplo prático das vantagens de se utilizar um cartão que transfere os pontos diretamente para o programa de fidelidade da empresa aérea. Com a palavra, o Vinícius:

1) Como acumular milhas? No momento, a melhor maneira que encontrei foi com o cartão Smiles Platinum, que oferece 2 milhas por dólar. Está disponível pelo Banco do Brasil e pelo Bradesco. Ambos cobram uma anuidade de R$ 360 e te dão 10.000 milhas na contratação, ou seja, é como se você comprasse 10.000 milhas pelo valor de mercado + R$ 60. Mas atente para o fato de que isso ocorre apenas no primeiro ano. No segundo você ganha apenas 3.000 milhas, então “a compra sai muito cara”. Eu fiz o do Banco do Brasil por 1 ano e cancelei (o Banco do Brasil não negocia anuidade deste cartão). Agora estou com o do Bradesco. Ainda não completei 1 ano, mas já li que no Bradesco é possível negociar a anuidade. Vamos ver.

A desvantagem óbvia é que suas milhas vão para o Smiles diretamente, e você não pode usar na TAM ou na Azul. Por outro lado, é muito mais fácil aproveitar as promoções de milhas, porque quando não estão ainda na conta e você pede para transferir do banco, o lapso de tempo em geral é suficiente pra esgotar as passagens com promoção de milha. Os cartões Infinte e Black também são bons neste quesito, desde que você possa obter isenção de anuidade. Gasto tudo que é possível no cartão, de qualquer valor menos menos de R$ 10, desde que não haja um desconto a vista que valha a pena (acima de 3%, como colocou o SwineOne).

2) Como gastar as milhas? Toda semana a GOL disponibiliza três destinos promocionais de sexta a domingo. Eu verifico se um deles me interessa, e está disponível para as datas que eu posso. Verifico também se vale a pena. Por exemplo, uma passagem Rio São Paulo quase nunca vale a pena com milhas. Com antecedência, o valor sai em torno de R$ 130, que convertido em milhas, dá cerca de 4.000 milhas. Se for mais que isso, não vale a pena. Verifique sempre quando está saindo a passagem em dinheiro, para não fazer mal negócio. Cumpridas estas condições, emito a passagem e viajo feliz! Além disso, eventualmente há outras promoções de milhas , muitas vezes em fins de semana em que também está ocorrendo promoções de passagem com dinheiro.

3) Como turbinar o acúmulo e o uso de milhas (de maneira responsável)?

Eu assino o Clube Smiles, e “compro” 1.000 milhas por mês por R$ 30 (preço de mercado). Além disso, tenho direito a:
* Pegar as promoções de milhas 1 dia antes,
* Reservar a passagem por 3 dias (ótimo para não perder trechos em promoção enquanto você verifica alguma pendência em termos de disponibilidade).

O cartão Smiles acima também paga mais 1 milha por R$ gasto em passagens da GOL.
Fazendo compras na loja virtual Compra Fácil, você ganha milhas também, se não me engano 3 por real gasto. Mas obviamente só compre lá se o preço estiver bom. Faça *sempre* a conta de quantas milhas vai ganhar, converta em dinheiro (10.000 milhas = R$ 300), subtraia do preço e vejo se ainda é vantagem. E a regra óbvia, compre o que está precisando, não tem sentido inventar compras para ganhar milhas!

Alguns trechos que já fiz com esta estratégia:
Rio -> Manaus ida e volta por 12.000 milhas (ida sexta a noite, volta segunda de madrugada)
Rio -> Rio Branco ida e volta por 12.000 milhas (ida sexta a noite, volta segunda de madrugada)
Rio -> Rosario (Argentina) ida e volta por 12.000 milhas (ida sexta a noite, volta segunda de madrugada)
Rio -> João Pessoa ida e volta por 9.000 milhas (ida sexta a noite, volta segunda de madrugada)
Rio -> Recife ida e volta 10.000 milhas + R$ 300 no carnaval (ida sexta a noite, volta quarta de manhã, este trecho estava saindo no minimo R$ 2.000).

Finalizando, não tem como chegar a uma estratégia que sirva pra todo mundo. As pessoas tem restrições e objetivos diferentes. Mas é fundamental usar as milhas de forma a economizar dinheiro, e não para virar uma maneira de gastar mais (o que é o objetivo dos programas de pontuação de cartão de crédito. Eles não dão pontos porque são legais).

Optando por um cartão que acumule pontos no programa do cartão: prós e contras

Por outro lado, ter um cartão de crédito que acumule pontos no programa do cartão, dando a você a alternativa de escolher em qual empresa creditar os pontos, lhe fornece um outro tipo de benefício: criar possibilidades de escolhas.

Como as milhas aéreas são moedas de troca, quanto mais opções de moedas você tiver, maiores serão suas chances de aproveitar melhor as milhas e pontos, dada a natural competitividade existente nesse segmento de programas de fidelização. Além disso, você não fica preso a uma só empresa (e aliança) aérea.

Ademais, existe ponto positivo no cartão de crédito que tenha programa de recompensas próprio: maximizar a vida útil das milhas e pontos adquiridos.

Falo isso porque, infelizmente, os programas de fidelidade aéreos nacionais têm regras bastante restritivas quanto a prazos de validade das milhas: os pontos no Multiplus Fidelidade e no Tudo Azul prescrevem em apenas 2 anos, e as milhas acumuladas no Smiles prescrevem de 3 a 5 anos, conforme o nível elite do associado (quanto maior o nível de associação, maior o prazo de validade das milhas).

Os programas de fidelidade dos cartões de crédito, infelizmente, também têm regras restritivas quanto ao prazo de validade dos pontos acumulados no cartão, sendo a regra geral a validade de 3 anos ou 36 meses (programas dos cartões Diners, Itaú, Bradesco, BB e Caixa geralmente prescrevem em 36 meses), havendo algumas raras exceções em que os pontos não prescrevem (por exemplo, pontos acumulados no programa Membership Rewards, da American Express, cartões Black e Infinite do BB, e cartões Black Unlimited, do Santander: os pontos acumulados através desses cartões não prescrevem).

Dessa forma, se você acumula pontos nos cartões Bradesco, e decidiu optar por acumular pontos no Tudo Azul, não faça a transferência de imediato da sua conta do cartão para sua conta no programa de milhagem, a menos que haja uma razão bastante forte para tal (p.ex., resgate de passagem-prêmio para breve, ou uma promoção de transferência com bônus). Com os 3 anos de validade dos pontos nos cartões Bradesco + os 2 anos de validade dos pontos no programa Tudo Azul, você garante uma vida útil máxima de até 5 anos para seus pontos do cartão.

As desvantagens de ter um cartão com um programa próprio de recompensas é que você corre o risco de deixar de aproveitar alguma boa promoção relâmpago de emissão de passagens com milhas reduzidas.

Portanto, pense bem antes de escolher um cartão de crédito!

Conclusão

O cartão de crédito é uma excelente ferramenta para a tarefa de acumular milhas e pontos, porém, requer alguns cuidados em sua utilização, tanto no que diz respeito ao pagamento da anuidade, que sempre deve ser objeto de negociação, quanto no que diz respeito ao gerenciamento dos pontos acumulados com as compras, que, para efeitos de preservação e maximização de vida útil dos pontos, devem ser mantidos o máximo de tempo possível no programa de recompensas do cartão de crédito, a menos que haja uma razão suficientemente forte para transferi-los para o programa de milhagem.

Por outro lado, ter um cartão de crédito associado diretamente a um programa de milhagem pode facilitar sua organização na tarefa de resgatar as milhas, fazendo com que você aproveite melhor as promoções relâmpagos que costumam surgir de vez em quando.

A escolha por um ou outro é estritamente pessoal, e deve ser ajustada ao seu perfil de uso das milhas.

Créditos da imagem: Free Digital Photos

  • Clerton Luiz

    o credicard exclusive platinum da 2 pontos por dolar. tem boa taxa de conversão, anuidade relativamente baixa e que pode ser facilmente negociada.

    • Guilherme

      Obrigado pela dica, Clerton!

      O Credicard é uma opção a ser considerada para o acúmulo de pontos, principalmente para aqueles que não gostam ou não conseguem o Black ou Infinite pela questão da renda mínima, ou das anuidades salgadas (normalmente acima de R$ 780).

      Abç

      • Clerton Luiz

        acredito que hoje o credicard exclusive platinum seja o melhor custo-beneficio pra acumular milhas guilherme. ate o momento a unica desvantagem dele que pude perceber eh nao dar acesso a salas vips.

        • Guilherme

          Sem dúvida, Clerton, se o foco principal do cliente forem viagens nacionais, onde TAM e Smiles/Gol servem bem, o Credicard Exclusive é uma ótima alternativa.

          Quanto à questão das salas VIPs, dependendo do perfil do viajante, elas são dispensáveis.

          Abç

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×